Elvia Bezerra

Grande sertão: veredas sessentão

Elvia Bezerra

18.07.16

Grande sertão: veredas, romance de Guimarães Rosa, está completando sessenta anos. Em junho, o Clube de Leitura do IMS leu a obra sob orientação do professor Eduardo Coutinho. Em palestra disponível em áudio integral e apresentada aqui por Elvia Bezerra, coordenadora de internet do IMS, o professor ressalta a tríplice travessia que se percorre no livro.

Manuel Bandeira: o legado maior

Elvia Bezerra

19.04.16

Há 130 anos nascia, no Recife, aquele que ficaria conhecido como o Poeta de Pasárgada. Manuel Carneiro de Sousa Bandeira chegou ao mundo no dia 19 de abril de 1886 e, ainda jovem, foi transplantado para o Rio de Janeiro, onde viveu até o último dia de vida. No seu exílio, que se tornaria voluntário, conseguiu resolver uma equação invejável: sem esquecer sua cidade de origem – queria estar lúcido na hora da morte para lhe enviar um último pensamento, como se lê no poema “Recife” –, desejava morrer sob os “céus serenos” do Rio de Janeiro, “porque assim”, escreveu na louvação à capital carioca, “sentirei menos/ O meu despejo de cá”.

Cala-se a soft voice de Joan Mendes Campos

Elvia Bezerra

12.02.16

No último dia 9, na terça-feira do carnaval carioca, morreu Joan Mendes Campos, provando que o marido Paulo falou a verdade: “No mês de fevereiro pode acontecer tudo”. Inglesa de nascimento, chamava-se Joan Abercrombie quando chegou ao Brasil no final da década de 1940 para visitar um irmão, que morava no Rio. Por meio dele conheceu Paulo Mendes Campos, naquela época começando a carreira de cronista refinadíssimo no Diário Carioca e depois nos principais jornais da cidade. Tão bem misturadas eram suas nacionalidades de inglesa e brasileira que Otto Lara Resende tratou de rebatizá-la: Joaninha.

Natal em poesia: sinos, silêncio e solidão

Elvia Bezerra

22.12.15

Conhecido por ser o poeta da "palavra enxuta", Manuel Bandeira derramava-se quando realmente gostava de um de seus pares. Entusiasmava-se, sobretudo, se o gosto viesse de uma descoberta feita por ele mesmo, como o cearense José Albano. E foi com fervor que escreveu sobre o poeta pernambucano Carlos Pena Filho, depois de ler o Livro geral, de que consta o “Poema de Natal”.

Um para o outro

Elvia Bezerra

24.11.15

Se eu a visse, com os cabelos brancos, no seu passo lento, atravessando o calçadão do Leme, onde mora, não hesitaria em afirmar: – "É a moça da foto tirada na praça de Poços de Caldas". E recomendaria que visitassem, na cidade mineira, a exposição Fotografia de Domingo, que reúne a produção de fotógrafos amadores, e muitas vezes anônimos, dedicados ao registro de memória familiar ou pessoal, como a de Lygia e Nelson no banco da praça.

Otto na cabeça

Elvia Bezerra

22.10.15

"Tirem a roupa toda, se quiserem, mas não tirem o chapéu", escreveu Paulo Mendes Campos, e como se vê nesta antologia de coberturas de cabeça seu amigo Otto Lara Resende parece ter seguido a orientação à risca.

Sabadoyle: o último salão literário

Elvia Bezerra

10.11.14

No dia 25 de dezembro de 1964 nascia, de maneira curiosa, no Rio de Janeiro, o último salão literário do Brasil. Grêmio literário? Academia paralela? Ninguém melhor que Drummond, o fundador involuntário, para definir as reuniões “em que se esquecem preocupações e tédios, no exercício desta coisa que se vai tornando rara ou impossível na cidade de hoje: a conversa".

A Casa do IMS na Flip 2014

Elvia Bezerra

04.08.14

Não se leem impunemente as frases de Millôr Fernandes. Muitos se sentavam nos bancos e pufes dispostos na Casa do IMS para pensar melhor no que viam escrito à sua frente: “Desconfio de todo idealista que lucra com seu ideal”. Pela expressão, quase se podia ouvir: “Eu também”. A garçonete em lágrimas por fracassar com o cliente e o rapaz à procura de um cappuccino gratuito também foram personagens da Flip.

Pop Shakespeare

Elvia Bezerra

22.04.14

Nos 450 anos do dramaturgo inglês, que se completam neste 23 de abril, a coordenadora de literatura do IMS recorda como as peças e os sonetos de Shakespeare nos marcaram, a começar por nossos escritores. "O amor a Shakespeare por parte do escritor menor deve ser abrasador e recolhido como a adoração de um pajem por sua rainha", escreveu Paulo Mendes Campos.

Manuel Bandeira: a vida inteira

Elvia Bezerra

19.04.14

No aniversário do poeta, a coordenadora de literatura do IMS relembra as casas onde ele morou e os poemas que elas inspiraram. O cenário doméstico e a vida da vizinhança foram matéria importante na obra de Bandeira, que desenhou para o colega Mario Quintana um mapa do entorno de sua casa, na Lapa. O desenho está no acervo do artista gaúcho, no IMS.