Mànya Millen

Atenção às linhas

Mànya Millen

09.02.17

Ao ingressar no turno noturno do ensino médio no Rio de Janeiro, o adolescente Matias Vaisman decidiu aproveitar os dias livres para fazer cursos de fotografia. Foi aprimorando técnica, escolhendo ângulos de composição e ampliando seu campo de interesse e, recentemente, fotografou a casa e os jardins do IMS na Gávea.

Patrono dos cinco biomas

Mànya Millen

07.02.17

O alemão Carl Friedrich Philipp von Martius voltou para a Europa em 1820, deixando como legado o que ainda hoje é considerado o maior levantamento da flora brasileira.

Cinema como experiência

Mànya Millen

25.01.17

Kleber Mendonça Filho, desde dezembro de 2016 coordenador de cinema do Instituto Moreira Salles, apresenta algumas das novidades e planos para os cinemas do IMS e resume sua responsabilidade em poucas linhas: “O que devemos defender é a própria experiência de se ver um filme numa sala de cinema. E isso defendemos com programação, qualidade técnica e respeito ao espectador”.

Encontro com Dois irmãos

Mànya Millen

09.01.17

Em 2001, Milton Hatoum participou da série O escritor por ele mesmo, promovida pelo IMS. Na ocasião, leu trechos do primeiro livro, Relato de um certo Oriente, vencedor do Jabuti de melhor romance, e também do igualmente premiado Dois irmãos, que chega às telas da TV Globo nesta segunda-feira, dia 9, na minissérie homônima com texto da roteirista Maria Camargo e direção artística de Luiz Fernando Carvalho.

A ousadia literária de 2016

Mànya Millen

26.12.16

Aviso: esta não é uma lista de melhores livros do ano. Listas costumam ser encaradas com desconfiança, e não sem razão. Este também não é um apanhado (quase sempre chatíssimo) do mercado editorial brasileiro em 2016. Este texto não é igualmente uma lista das perdas de grandes personagens do mundo literário, embora elas tenham sido muitas e sentidas. Estas linhas são para ressaltar que 2016 foi o ano em que a literatura galgou um novo patamar, e a ousadia foi referendada justamente pela mais vetusta e pomposa das instituições: a Academia Sueca.

Entre etéreo e humano

Mànya Millen

12.12.16

Otto Stupakoff rodou o mundo, viveu o mundo, absorveu o mundo e o registrou sob diversos ângulos. O fotógrafo foi um mundo inteiro, em busca de toda forma de arte. (Mànya Millen)

Acervo vivo

Mànya Millen

16.11.16

A obra de Rachel de Queiroz começa a ser reeditada com O Quinze, seu romance de estreia, de 1930. Para esta 104ª edição, o acervo da escritora, sob guarda do IMS, foi fundamental. (Mànya Millen)

Associados ao IMS

Mànya Millen

25.10.16

Cerca de 700 mil fotografias e 300 mil negativos, pertencentes aos Diários Associados e cobrindo quase um século, passam a integrar o acervo do IMS. (Mànya Millen)

J. Carlos para crianças

Mànya Millen

11.10.16

Um dos maiores cronistas visuais do Rio no século XX, J. Carlos teve também um lado menos celebrado, embora igualmente caprichado: o de autor para crianças. (Mànya Millen)

O som ao redor

Mànya Millen

08.09.16

Dizer que o Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro abrigará, entre setembro e novembro, a maior e mais abrangente exposição do albanês Anri Sala no Brasil é apenas uma meia verdade. Isso porque a casa na Gávea, projetada por Olavo Redig de Campos e considerada um marco da arquitetura moderna da década de 1950, não servirá somente como galeria para Anri Sala: o momento presente. Muito além disso, a casa é uma coadjuvante de peso da exposição, projetada especialmente para o espaço, evidenciando a relação entre som e arquitetura que o artista vem explorando cada vez mais em seus trabalhos.