Walter Robinson e Jon Lee Anderson

Divulgação/piauí

Walter Robinson e Jon Lee Anderson

Bastidores da notícia

Em cartaz

07.10.16

Em uma era mar­ca­da pela mul­ti­pli­ca­ção e tro­ca de infor­ma­ções nas redes, em que qual­quer cida­dão pode se trans­for­mar num repór­ter em tem­po real, o deba­te sobre o papel e a sobre­vi­vên­cia do jor­na­lis­mo pro­fis­si­o­nal só cres­ce. Na ter­ça-fei­ra, dia 11 de outu­bro, o Instituto Moreira Salles do Rio rece­be­rá, num even­to pro­mo­vi­do pela revis­ta piauí, dois expo­en­tes do jor­na­lis­mo inves­ti­ga­ti­vo mun­di­al, os ame­ri­ca­nos Walter Robinson e Jon Lee Anderson, que vão mos­trar, atra­vés de suas expe­ri­ên­ci­as, o quan­to o (bom) exer­cí­cio da pro­fis­são ain­da pode ser fun­da­men­tal para a soci­e­da­de. O encon­tro terá entra­da fran­ca e tra­du­ção simul­tâ­nea.

Walter RobinsonDivulgação

Walter Robinson

Robinson, que vai con­ver­sar às 19h com a jor­na­lis­ta Consuelo Dieguez, da piauí, foi o res­pon­sá­vel pela inves­ti­ga­ção do jor­nal ame­ri­ca­no The Boston Globe que expôs, em 2002, os casos de pedo­fi­lia ocor­ri­dos em  diver­sas paró­qui­as da cida­de. Os padres acu­sa­dos de abu­sa­rem sexu­al­men­te das cri­an­ças eram devi­da­men­te aco­ber­ta­dos por bis­pos e advo­ga­dos da Igreja Católica que, mui­tas vezes, com­pra­vam o silên­cio dos fami­li­a­res das víti­mas. Na épo­ca, Robinson era o edi­tor-che­fe da equi­pe de jor­na­lis­mo inves­ti­ga­ti­vo do jor­nal, bati­za­da de “Spotlight”, e o exten­so e deta­lha­do tra­ba­lho, que ren­deu mais de 600 repor­ta­gens, deu ao jor­na­lis­ta em 2003 o Pulitzer, mai­or prê­mio da impren­sa dos EUA. Em 2015, Spotlight, base­a­do no livro que leva o mes­mo nome da equi­pe (lan­ça­do no Brasil pela no ras­tro do suces­so da pro­du­ção como Spotlight: Segredos reve­la­dos, em tra­du­ção de Antonio Carlos Vilela para a edi­to­ra Vestígio), levou os prê­mi­os de melhor fil­me e melhor rotei­ro ori­gi­nal. O fil­me será exi­bi­do às 16h, antes do encon­tro com Robinson, que até 2006 che­fi­a­va a seção Spotlight no Boston Globe, e hoje leci­o­na na Universidade Stanford.

Jon Lee AndersonDivulgação

Jon Lee Anderson

Jon Lee Anderson, que fala­rá às 20h com Daniela Pinheiro, da piauí, é cola­bo­ra­dor da revis­ta The New Yorker des­de 1998, e é reco­nhe­ci­do tan­to por seu tra­ba­lho no front de con­fli­tos inter­nos e guer­ras como as do Afeganistão, El Salvador, Irlanda, Uganda e Oriente Médio, entre outros locais, nos anos 80 e 90, como tam­bém pela extre­ma habi­li­da­de com a qual cons­trói per­fis minu­ci­o­sos e abran­gen­tes. Figuras polê­mi­cas como Fidel Castro, Hugo Chávez e Augusto Pinochet, além de escri­to­res como Gabriel García Márquez e Leonardo Padura já foram esmiu­ça­dos pela pena de Anderson. Um dos tra­ba­lhos mais cele­bra­dos do jor­na­lis­ta, que este­ve no Brasil em outras oca­siões, é Che Guevara – Uma bio­gra­fia, de 1997 (lan­ça­do aqui pela Objetiva em tra­du­ção de Michele MacCulloch), na qual ele recons­ti­tui a tra­je­tó­ria do líder da revo­lu­ção cuba­na em míni­mos deta­lhes, a par­tir de entre­vis­tas com pes­so­as mui­to pró­xi­mas e com­pa­nhei­ros de luta do argen­ti­no. E, mais impor­tan­te, reve­la onde foi enter­ra­do o cor­po de Che Guevara.

As con­ver­sas com Robinson e Anderson inte­res­sam não ape­nas aos estu­dan­tes de jor­na­lis­mo, mas a qual­quer um que gos­te de boas e pro­fun­das his­tó­ri­as.

 

Jon Lee Anderson e Walter Robinson no Rio de Janeiro

Data: 11 de outu­bro

Endereço: IMS – Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea.

Entrada fran­ca sujei­ta à lota­ção

 

Programação

16h –  Exibição do fil­me Spotlight

19h –  Walter Robinson con­ver­sa com a jor­na­lis­ta Consuelo Dieguez, da revis­ta piauí  (com tra­du­ção simul­tâ­nea)

20h –  Jon Lee Anderson con­ver­sa com a jor­na­lis­ta Daniela Pinheiro, da revis­ta piauí  (com tra­du­ção simul­tâ­nea)

 

Distribuição de senhas para o fil­me às 15h30

Distribuição de senhas para o even­to às 18h30

, , , , , , , ,