Hora de Clarice: a paixão segundo G. H.

Vídeos

22.12.14

A ter­cei­ra edi­ção do even­to Hora de Clarice foi pro­mo­vi­do pelo IMS-RJ em 10 de dezem­bro de 2014 para cele­brar o ani­ver­sá­rio de Lispector. O deba­te sobre A pai­xão segun­do G.H., títu­lo que com­ple­tou 50 anos de sua edi­ção, com Yudith Rosenbaum, Nádia Battella Gotlib e Roberto Corrêa dos Santos, foi pre­ce­di­do de uma lei­tu­ra de tre­chos do roman­ce pela atriz Mariana Lima. A medi­a­ção foi de Eucanaã Ferraz.

Nádia Battella Gotlib des­ta­ca a inten­si­da­de do roman­ce, sua den­si­da­de e a difi­cul­da­de de ler G. H. pela pri­mei­ra vez. O livro de Lispector ques­ti­o­na o poder da lin­gua­gem de des­cre­ver a rea­li­da­de. Yudith Rosenbaum, por sua vez, cita uma crô­ni­ca de Lispector que mos­tra a com­ple­xi­da­de de abor­dar o real: “Clarice des­fa­mi­li­a­ri­za o comum e o bom sen­so”. Roberto Corrêa dos Santos fala sobre dei­xar-se levar pela “medi­ta­ção visu­al” pro­pos­ta pelo roman­ce de Lispector. Propõe um pac­to de evi­tar pala­vras como “inter­di­to” e “tra­gé­dia” e ori­en­ta sua fala com base no con­cei­to de fome. Assista abai­xo:

, , , ,