Infância banida

Miscelânea

02.04.13

Infância banida

A libe­ra­ção de docu­men­tos, gra­ças à Lei de Acesso à Informação, e a ins­ta­la­ção da Comissões de Verdade pelo gover­no fede­ral devol­ve­ram ao noti­ciá­rio infor­ma­ções sobre o que acon­te­ceu com aque­les que com­ba­te­ram a dita­du­ra mili­tar. Além dos rela­tos de tor­tu­ras e assas­si­na­tos, há his­tó­ri­as antes pra­ti­ca­men­te des­co­nhe­ci­das, como a de que cri­an­ças que, por serem paren­tes de mili­tan­tes, foram clas­si­fi­ca­das como “sub­ver­si­vas” e man­da­das para fora do país. O jor­na­lis­ta Plínio Fraga foi ao Arquivo Nacional pes­qui­sar o assun­to, encon­trou fotos das cri­an­ças enquan­to esta­vam em poder dos órgãos de segu­ran­ça, entre­vis­tou os “exi­la­dos” hoje adul­tos e escre­veu a repor­ta­gem “Infância bani­da”, publi­ca­da na ZUM #3.

, ,