Leituras no Paço

Literatura

04.07.16

Caminhar pelo Rio nas últi­mas déca­das do sécu­lo XIX e nas pri­mei­ras do XX era uma opor­tu­ni­da­de de acom­pa­nhar, dia a dia, as mudan­ças de uma cida­de que, cada vez mais, pro­cu­ra­va se igua­lar às gran­des capi­tais euro­pei­as. Caminhar pelas ruas, porém, era tam­bém uma pre­ci­o­sa oca­sião para ali­men­tar a escri­ta, como pode ates­tar a obra de mui­tos gran­des auto­res bra­si­lei­ros da épo­ca, entre eles Machado de Assis e Lima Barreto, que fize­ram da cida­de per­so­na­gem impor­tan­te de sua fic­ção e de suas crô­ni­cas. O Centro do Rio daque­la épo­ca, em ple­no pro­ces­so de pro­fun­das refor­mas urba­nas, mere­ceu a aten­ção de ambos, e é a par­tir des­se recor­te que as pro­fes­so­ras e pes­qui­sa­do­ras Marta de Senna e Beatriz Resende fala­rão sobre os dois escri­to­res, em julho e agos­to, no Paço Imperial. As con­ver­sas, orga­ni­za­das no Paço pelo Clube de Leitura do Instituto Moreira Salles-RJ, fazem par­te da mos­tra O Paço, a pra­ça e o mor­ro, que reú­ne, até dia 28 de agos­to, 200 tra­ba­lhos de fotó­gra­fos con­sa­gra­dos e anô­ni­mos, per­ten­cen­tes ao acer­vo do IMS, sobre a área que englo­ba a Praça Quinze e seus arre­do­res, além do Morro do Castelo, total­men­te remo­vi­do da pai­sa­gem em 1928.

img1

Clube de Leitura: Lima Barreto será tema da pales­tra de Beatriz Resende (no alto) e Marta de Senna fala­rá sobre Machado de Assis (aci­ma)

Sob a cura­do­ria de Sergio Burgi, coor­de­na­dor de Fotografia do Instituto, a expo­si­ção no Paço Imperial já reve­la ao visi­tan­te, além das ima­gens de fotó­gra­fos como Marc Ferrez, Augusto Malta e Georges Leuzinger, a lei­tu­ra de tre­chos de livros ou crô­ni­cas em que o Centro apa­re­ce nos escri­tos de diver­sos auto­res. Em áudi­os que acom­pa­nham duas sequên­ci­as de foto­gra­fi­as está, por exem­plo, o iní­cio de “Esaú e Jacó”, roman­ce que faz do Morro do Castelo um cená­rio qua­se pro­ta­go­nis­ta.

– Acho que se pode dizer que há dois Rios na fic­ção de Machado de Assis ­– obser­va Marta de Senna, que fará sua pales­tra sobre o escri­tor dia 21 de julho. – Um seria aque­le mais “cati­to”, como diria Lima Barreto: a Zona Sul da Glória, Catete, Flamengo, que é o espa­ço pre­fe­ren­ci­al dos roman­ces. O outro é o da zona por­tuá­ria, que se faz mui­to pre­sen­te nos con­tos. E o Centro fre­quen­ta ambos, é oni­pre­sen­te, o lugar onde todos os per­so­na­gens se encon­tram. Acho inte­res­san­te que ambos os gêne­ros pas­sem por essa região.

Autora de dois livros e orga­ni­za­do­ra de outros dois sobre Machado de Assis, Marta, pes­qui­sa­do­ra da Fundação Casa de Rui Barbosa, vai focar em roman­ces e con­tos nos quais o Paço, a Praça Quinze e o Morro do Castelo são expli­ci­ta­men­te men­ci­o­na­dos. Entre os roman­ces, pas­sa­gens de Quincas Borba e Memorial de Aires, além do já cita­do Esaú e Jacó. Entre os con­tos estão Verba tes­ta­men­tá­ria, Casa velha, Um erra­dio, Vidros que­bra­dos, Uns bra­ços e O diplo­má­ti­co.

img3

Morro do Castelo e rua Primeiro de Março, vis­tos da igre­ja do Carmo, c. 1894. Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Fotografia de Juan Gutierrez / Coleção Mestres do sécu­lo XIX / Acervo Instituto Moreira Salles

Beatriz Resende, pro­fes­so­ra titu­lar do Departamento de Ciência da Literatura da Faculdade de Letras da UFRJ, fará sua pales­tra sobre Lima Barreto dia 4 de agos­to. A auto­ra de Lima Barreto e o Rio de Janeiro em frag­men­tos vai abor­dar, entre outros escri­tos, o livro “O sub­ter­râ­neo do Morro do Castelo”, que tam­bém teve tre­chos incluí­dos no áudio da expo­si­ção. Lima Barreto publi­cou a obra em 1905, ano em que ope­rá­ri­os que tra­ba­lha­vam na des­trui­ção de par­te do mor­ro para a aber­tu­ra da Avenida Central des­co­bri­ram a entra­da de uma gale­ria. O acha­do refor­çou o mito da exis­tên­cia de um gran­de tesou­ro que teria sido enter­ra­do pelos jesuí­tas sob o con­ven­to que exis­tia no lugar. Barreto, tam­bém jor­na­lis­ta, fez uma série de repor­ta­gens sobre o fato.

– A vida lite­rá­ria de Lima Barreto come­ça pelo Morro do Castelo. A repor­ta­gem que escre­ve para o Correio da Manhã se trans­for­ma em emo­ci­o­nan­te folhe­tim. Só que anô­ni­mo, sem assi­na­tu­ra do autor – lem­bra Beatriz.

Na pales­tra ela tam­bém comen­ta­rá a crô­ni­ca 13 de maio, para ela uma das mais como­ven­tes de Lima Barreto, na qual ele lem­bra a cerimô­nia defron­te ao Paço Imperial no dia da assi­na­tu­ra da Lei Áurea pela Princesa Isabel, em 1888.

– Levado pelo pai para a cerimô­nia, no dia em que tam­bém come­mo­ra­va seu séti­mo ani­ver­sá­rio, Barreto nun­ca irá se esque­cer da cena e da ima­gem da prin­ce­sa – con­ta Beatriz.

As ins­cri­ções para as pales­tras orga­ni­za­das pelo Clube de Leitura – pro­je­to pro­mo­vi­do pela coor­de­na­do­ria de lite­ra­tu­ra do IMS – esta­rão aber­tas entre os dias 5 e 15 de julho (ver abai­xo).

Serviço

O Paço, a praça e o morro na obra de Machado de Assis

Palestrante: Marta de Senna
Dia: 21 de julho, quin­ta-fei­ra
Horário: 17h às 18h30m
Local: Paço Imperial — Praça XV de Novembro 48.
Telefone: (21) 2215–2093.

O Paço, a praça e o morro na obra de Lima Barreto

Palestrante: Beatriz Resende
Dia: 4 de agos­to, quin­ta-fei­ra
Horário: 17h às 18h30m.
Local: Paço Imperial

As palestras são gratuitas e o número de vagas é limitado.

Inscrições

Inscrições de 5 a 15 de julho devem ser fei­tas pelo e-mail renata.paula@ims.com.br com os seguin­tes dados:

Assunto: ins­cri­ção pales­tras Paço Imperial
Especificar o títu­lo da pales­tra a que quer assis­tir
Nome com­ple­to:
Profissão:
Data de nas­ci­men­to:
Telefone para con­ta­to:

 

, , , ,