Literatura em vídeo

Literatura

04.09.12

O Blog do IMS con­vi­dou o escri­tor Carlos Henrique Schroeder para escre­ver uma segun­da par­te do seu “Guia do melhor da web lite­rá­ria”, des­ta vez lis­tan­do os melho­res víde­os sobre lite­ra­tu­ra na inter­net.

Não há dúvi­das que o futu­ro do cine­ma e vídeo, e tam­bém da lite­ra­tu­ra e das artes visu­ais, está inti­ma­men­te liga­do ao desen­vol­vi­men­to da inter­net.  Vivemos um momen­to de con­quis­tas e incer­te­zas tec­no­ló­gi­cas, numa épo­ca que cabe mui­to bem naque­le poe­ma do Bertolt Brecht: “na mudan­ça da lua, a lua nova segu­ra a lua velha, uma noi­te intei­ra nos bra­ços”. E a inter­net pro­pi­cia momen­tos gene­ro­sos, demo­crá­ti­cos, prin­ci­pal­men­te para quem, como eu, é vici­a­do em infor­ma­ção (já viu o Proust tocan­do vio­lão com uma raque­te de tênis?). Com a ban­da lar­ga e as redes 3G, todos os com­pu­ta­do­res e dis­po­si­ti­vos móveis tor­na­ram-se tele­vi­sões sob deman­da, e ago­ra são os usuá­ri­os que mon­tam a sua pró­pria pro­gra­ma­ção. Para exem­pli­fi­car este fenô­me­no, nos pará­gra­fos seguin­tes brin­co de VJ lite­rá­rio, para lis­tar alguns víde­os em inglês, fran­cês, ale­mão, espa­nhol e, cla­ro, por­tu­guês, rela­ci­o­na­dos com lite­ra­tu­ra (e que se assis­ti­dos inin­ter­rup­ta­men­te, ocu­pam mais de uma sema­na). Prepare seu nave­ga­dor!

Inglês, fran­cês e ale­mão

- Um raro docu­men­tá­rio sobre Beckett, e  FILM, o úni­co rotei­ro dele fei­to espe­ci­al­men­te para o cine­ma;

- Uma via­gem ao fim da noi­te com os fura­cões fran­ce­ses Arthur Rimbaud, Céline e Artaud;

- Um docu­men­tá­rio sobre a obra e o tra­ba­lho de T.S. Eliot , pro­du­zi­do pela BBC, e outro sobre Ulysses, do James Joyce (aqui o autor em Paris, na déca­da de 1920);

- Quatro entre­vis­tas imper­dí­veis: Aldous Huxley, Thomas Bernhard, Philip Roth e Ian McEwan, esta últi­ma rea­li­za­da por Richard Dawkins;

- Leituras  do Saul Bellow e, aqui, do Jonathan Franzen e Jhumpa Lahiri;

- Já viu o Fitzgerald? Não? Então apro­vei­te esta pre­ci­o­si­da­de;

- Um sala­dão: o Quixote do Orson Welles, um espe­ci­al sobre Haruki Murakami e a mãe do Raymond Carver falan­do sobre o gran­de con­tis­ta ame­ri­ca­no, e um belo olhar sobre a vida e a obra da Sylvia Plath.

Português e espa­nhol

- Um raro docu­men­tá­rio sobre vida e obra do poe­ta cuba­no Reinaldo Arenas, e outro sobre Roberto Bolaño, que rela­ta seus últi­mos anos na Espanha e tam­bém a dife­ren­ça entre a vida que ele teve e a vida dos famo­sos escri­to­res lati­no-ame­ri­ca­nos dos anos 60 e 70.  Também não pode­ria dei­xar de citar outros dois docu­men­tá­ri­os fan­tás­ti­cos, um sobre Juan Carlos Onetti e outro do Carlos Fuentes.

- Agora vamos com os bra­si­lei­ros: a série Mestres da Literatura apre­sen­ta espe­ci­ais de Carlos Drummond de Andrade, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, João Cabral de Melo Neto, José de Alencar, José Lins do Rego, Lima Barreto, Lygia Fagundes Telles, Machado de Assis, Mário de Andrade e Rachel de Queiroz. Uma mara­vi­lha!

- E o Impreso en Argentina recon­ta a his­tó­ria de vári­os clás­si­cos da lite­ra­tu­ra lati­no-ame­ri­ca­na, e de uma manei­ra inu­si­ta­da: um qua­dri­nis­ta deci­de ilus­trar e ree­di­tar obras fun­da­men­tais, e con­ta com a aju­da de um escri­tor, e com eles vamos nos embre­nhan­do em clás­si­cos como La inven­ción de Morel, de Bioy Casares, El jugue­te rabi­o­so de Roberto Arlt, Misteriosa Buenos Aires de Mujica Láinez, El ente­na­do de Juan José Saer, Cuentos de locu­ra de amor y de muer­te de Horacio Quiroga, Rayuela do Cortázar, El Aleph do Borges, Los pichi­ci­e­gos de Fogwill, La furia de Silvina Ocampo, Enero de Sara Gallardo e Adán Buenosayres do Leopoldo Marechal.

- Mas baca­na tam­bém foi a via­gem de dezes­seis escri­to­res para vári­as cida­des do mun­do, para pro­du­zir roman­ces que dia­lo­gas­sem com estas cida­des. Além do livro, cada via­gem ren­deu um docu­men­tá­rio. Luiz Ruffato foi para Lisboa, Daniel Pellizzari para Dublin, Cecília Gianetti para Berlim, Amílcar Bettega para Istambul, Adriana Lisboa para Paris, André de Leones para São Paulo, Chico Mattoso para Havana, Joca Reiners Terron para o Cairo, Lourenço Mutarelli para Nova York, Daniel Galera para Buenos Aires, Antonio Prata para Xangai, Antonia Pelegrino para Mumbai, Bernardo Carvalho para São Petersburgo, Reinaldo Moraes para o México, Sérgio Sant’Anna para Praga e João Paulo Cuenca para Tóquio.

- Já Marcel Proust, uma vida de escri­tor têm legen­das em por­tu­guês, assim como este espe­ci­al sobre A odis­seia e o docu­men­tá­rio do Bukowski. E para fechar com cha­ve de ouro, um espe­ci­al sobre Amós Oz, fei­to pela Globo News em 2005, e a clás­si­ca entre­vis­ta do Nelson Rodrigues para o Otto Lara Resende.

Bom, esta foi a minha pro­gra­ma­ção, pre­pa­re a sua e caia na rede, pois “a vida é cur­ta e o dinhei­ro tam­bém”, como já apre­go­a­va Bertolt Brecht.

* Na ima­gem que ilus­tra a home des­se post: cena do fil­me Videodrome, de David Cronenberg

* Carlos Henrique Schroeder é escri­tor e edi­tor, autor de As cer­te­zas e as pala­vras. Faz cura­do­ria de links no twit­ter @xroeder.

, , , , , , , , , , , , ,