Alain Guiraudie, diretor de Na vertical

Alain Guiraudie, diretor de Na vertical

Os filmes de junho

Cinema

07.06.17

O folhe­to ao pé des­te tex­to traz a pro­gra­ma­ção com­ple­ta para o mês de junho da Sala José Carlos Avellar, o cine­ma do IMS Rio, com datas e horá­ri­os das exi­bi­ções e ins­tru­ções para com­pra de ingres­sos.

No dia 8, uma quin­ta-fei­ra, estreia o Festival Varilux de Cinema Francês, que se esten­de até o dia 21 e apre­sen­ta uma sele­ção de deze­no­ve fil­mes. Alguns dos des­ta­ques são Na ver­ti­cal, de Alain Guiraudie, Tal mãe, tal filha, de Noémie Saglio, O filho uru­guaio, de Olivier Peyon, Rodin, de Jacques Doillon, Duas garo­tas român­ti­cas, de Agnès Varda e Jacques Demy, e Perdidos em Paris, de Fiona Gordon e Dominique Abel (no dia 10, após a exi­bi­ção das 17h35, os dire­to­res par­ti­ci­pa­rão de um deba­te).

Cena de Rodin, de Jacques Doillon

A pro­gra­ma­ção inclui tam­bém com a pré-estreia de Gritos e sus­sur­ros, de Ingmar Bergman, em cópia res­tau­ra­da em DCP. O fil­me estreia no cine­ma do IMS Rio em julho, mês em que o dire­tor sue­co com­ple­ta­ria 99 anos. A par­tir do dia 22, será exi­bi­do tam­bém Animal polí­ti­co, de Tião, e três docu­men­tá­ri­os exi­bi­dos duran­te o fes­ti­val É tudo ver­da­de: Cidades fan­tas­mas, diri­gi­do por Tyrell Spencer e ven­ce­dor do fes­ti­val na Competição Brasileira de Longas e Médias Metragens, Quem é Primavera das Neves, de Ana Luiza Azevedo e Jorge Furtado, e Tudo é irre­le­van­te. Helio Jaguaribe, de Izabel Jaguaribe e Ernesto Baldan.

Na quin­ta-fei­ra, dia 22, às 19h30, o cine­ma exi­be Tabu, de F. W. Murnau. Após a ses­são have­rá um deba­te com os crí­ti­cos da revis­ta Cinética.

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,