Little Edie e Big Edie, de Grey Gardens

Little Edie e Big Edie, de Grey Gardens

Os filmes de maio

Cinema

02.05.17

O folheto ao pé deste texto traz a programação completa para o mês de maio da Sala José Carlos Avellar, o cinema do Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro, com datas e horários das exibições e instruções para compra de ingressos. Neste mês a sala ganha um novo horário nos fins de semana, às 11h30.

Neste mês, o IMS-RJ apresenta exibições especiais em DCP de O que terá acontecido a Baby Jane?. No dia 6, o filme de Robert Aldrich será exibido junto a Grey Gardens, documentário em torno da relação de Edith Bouvier Beale e sua filha Edie, dirigido por David Maysles, Albert Maysles, Ellen Hovde e Muffie Meyer. No dia 20, Baby Jane passa em conjunto com os dois primeiros episódios de Feud, série do canal FX que retrata a disputa de bastidores entre as atrizes Joan Crawford e Bette Davis durante as filmagens.

No dia 11 estreia Crônica da demolição, filme de Eduardo Ades sobre a história do Palácio Monroe, antiga sede do Senado Federal. Após a sessão de estreia haverá um debate, mediado por Hernani Heffner, com o diretor e a equipe do filme (a montadora Eva Randolph e o fotógrafo José Eduardo Limongi).

No sábado, dia 13, que marca aos 129 anos da assinatura da Lei Áurea, haverá uma exibição especial de Terra deu, terra come, de Rodrigo Siqueira, que se passa no quilombo Quartel do Indaiá, em Minas Gerais.

Bette Davis e Joan Crawford em O que terá acontecido a Baby Jane?

Ao longo do mês, Cinema, aspirinas e urubus, de Marcelo Gomes, será exibido em cópia 35 mm por ocasião da estreia de Joaquim, mais novo longa do diretor. Junto a Elon não acredita na morte será exibido em 35 mm o curta-metragem Tremor, ambos de Ricardo Alves Jr.

Na quinta-feira, dia 18, às 19h, o cinema exibe três filmes de Aloysio Raulino: os curtas Jardim Nova Bahia e Teremos infância e o longa Noites paraguayas. Após a sessão, haverá um debate com os críticos da revista Cinética. Dentre as estreias do mês estão ainda Volta à Terra, de João Pedro Plácido, e A mulher que se foi, de Lav Diaz, que recebeu o Leão de Ouro na Mostra de Cinema de Veneza em 2016.

No festival Ópera na Tela, no dia 3, será exibida Sansão e Dalila, de Camille Saint-Saëns, em montagem do Teatro Alla Scala de Milão dirigida por Alvis Hermanis. A Sessão Vitrine Petrobras apresenta Martírio, de Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho e Tita, nos dias 21 e 23, e Muito romântico, dos gaúchos Melissa Dullius e Gustavo Jahn, em diversas sessões a partir do dia 25.

Em maio também serão exibidos Eight Days a Week, documentário de Ron Howard sobre os Beatles, Hiroshima meu amor, primeiro longa-metragem de Alain Resnais, com roteiro de Marguerite Duras, Paterson, de Jim Jarmusch, e Taego Ãwa, de Henrique e Marcela Borela.

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,