Little Edie e Big Edie, de Grey Gardens

Little Edie e Big Edie, de Grey Gardens

Os filmes de maio

Cinema

02.05.17

O folhe­to ao pé des­te tex­to traz a pro­gra­ma­ção com­ple­ta para o mês de maio da Sala José Carlos Avellar, o cine­ma do Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro, com datas e horá­ri­os das exi­bi­ções e ins­tru­ções para com­pra de ingres­sos. Neste mês a sala ganha um novo horá­rio nos fins de sema­na, às 11h30.

Neste mês, o IMS-RJ apre­sen­ta exi­bi­ções espe­ci­ais em DCP de O que terá acon­te­ci­do a Baby Jane?. No dia 6, o fil­me de Robert Aldrich será exi­bi­do jun­to a Grey Gardens, docu­men­tá­rio em tor­no da rela­ção de Edith Bouvier Beale e sua filha Edie, diri­gi­do por David Maysles, Albert Maysles, Ellen Hovde e Muffie Meyer. No dia 20, Baby Jane pas­sa em con­jun­to com os dois pri­mei­ros epi­só­di­os de Feud, série do canal FX que retra­ta a dis­pu­ta de bas­ti­do­res entre as atri­zes Joan Crawford e Bette Davis duran­te as fil­ma­gens.

No dia 11 estreia Crônica da demo­li­ção, fil­me de Eduardo Ades sobre a his­tó­ria do Palácio Monroe, anti­ga sede do Senado Federal. Após a ses­são de estreia have­rá um deba­te, medi­a­do por Hernani Heffner, com o dire­tor e a equi­pe do fil­me (a mon­ta­do­ra Eva Randolph e o fotó­gra­fo José Eduardo Limongi).

No sába­do, dia 13, que mar­ca aos 129 anos da assi­na­tu­ra da Lei Áurea, have­rá uma exi­bi­ção espe­ci­al de Terra deu, ter­ra come, de Rodrigo Siqueira, que se pas­sa no qui­lom­bo Quartel do Indaiá, em Minas Gerais.

Bette Davis e Joan Crawford em O que terá acon­te­ci­do a Baby Jane?

Ao lon­go do mês, Cinema, aspi­ri­nas e uru­bus, de Marcelo Gomes, será exi­bi­do em cópia 35 mm por oca­sião da estreia de Joaquim, mais novo lon­ga do dire­tor. Junto a Elon não acre­di­ta na mor­te será exi­bi­do em 35 mm o cur­ta-metra­gem Tremor, ambos de Ricardo Alves Jr.

Na quin­ta-fei­ra, dia 18, às 19h, o cine­ma exi­be três fil­mes de Aloysio Raulino: os cur­tas Jardim Nova Bahia e Teremos infân­cia e o lon­ga Noites para­guayas. Após a ses­são, have­rá um deba­te com os crí­ti­cos da revis­ta Cinética. Dentre as estrei­as do mês estão ain­da Volta à Terra, de João Pedro Plácido, e A mulher que se foi, de Lav Diaz, que rece­beu o Leão de Ouro na Mostra de Cinema de Veneza em 2016.

No fes­ti­val Ópera na Tela, no dia 3, será exi­bi­da Sansão e Dalila, de Camille Saint-Saëns, em mon­ta­gem do Teatro Alla Scala de Milão diri­gi­da por Alvis Hermanis. A Sessão Vitrine Petrobras apre­sen­ta Martírio, de Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho e Tita, nos dias 21 e 23, e Muito român­ti­co, dos gaú­chos Melissa Dullius e Gustavo Jahn, em diver­sas ses­sões a par­tir do dia 25.

Em maio tam­bém serão exi­bi­dos Eight Days a Week, docu­men­tá­rio de Ron Howard sobre os Beatles, Hiroshima meu amor, pri­mei­ro lon­ga-metra­gem de Alain Resnais, com rotei­ro de Marguerite Duras, Paterson, de Jim Jarmusch, e Taego Ãwa, de Henrique e Marcela Borela.

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,