Para que algo exista, deve ser determinável no tempo

Correspondência

11.11.13

Carta seguin­te.

, ,