Publicação do IMS recebe prêmio Benny de excelência gráfica

Fotografia

18.07.12

O Oscar da pro­du­ção grá­fi­ca”. É assim que mui­tos tra­tam o Benny, prê­mio ao qual con­cor­rem grá­fi­cas do mun­do intei­ro. A grá­fi­ca Ipsis, que ganhou dois prê­mi­os Benny no ano pas­sa­do, rece­beu outros dois em 2012 no Premier Print Awards. O tro­féu para “Melhor livro em até 3 cores” foi para Pele pre­ta, obra de Maureen Bisilliat edi­ta­da pelo Instituto Moreira Salles. Pele pre­ta é um ensaio foto­grá­fi­co que retra­ta mulhe­res e cri­an­ças negras rea­li­za­do há cer­ca de cin­quen­ta anos. Trata-se de um mar­co na car­rei­ra de Bisilliat, con­si­de­ra­da uma das fotó­gra­fas bra­si­lei­ras mais impor­tan­tes da segun­da meta­de do sécu­lo XX.

O IMS, den­ten­tor do acer­vo da fotó­gra­fa, deci­diu fazer uma edi­ção limi­ta­da em capa dura do ensaio Pele pre­ta, em par­ce­ria com a grá­fi­ca Ipsis. Fernando Ullmann, dire­tor da grá­fi­ca, afir­mou que a impres­são do livro Pele pre­ta pos­sui uma qua­li­da­de aci­ma da média. “É raro encon­trar uma impres­são em pre­to com esse con­tras­te, essa defi­ni­ção, essa sepa­ra­ção cla­ra entre as áre­as médi­as, escu­ras e cla­ras sem que haja pre­juí­zo à ima­gem”, expli­ca Ullmann.

Samuel Titan Jr., coor­de­na­dor exe­cu­ti­vo do IMS, diz que “um prê­mio como esse rati­fi­ca o empe­nho do IMS em publi­car edi­ções que tra­gam não ape­nas gran­de apu­ro grá­fi­co, mas incor­po­rem recur­sos téc­ni­cos recen­tes e ino­va­do­res”.

Abaixo, uma das ima­gens do ensaio foto­grá­fi­co Pele pre­ta:

, , , ,