Rimas para Susana

Literatura

28.01.15

O amor é o seu modo”, assi­na­la Eucanaã Ferraz em poe­ma sobre Susana de Moraes, mor­ta nes­ta ter­ça, 27 de janei­ro de 2015, após lon­ga bata­lha con­tra o cân­cer. Eucanaã, con­sul­tor de lite­ra­tu­ra do IMS, publi­cou o poe­ma em 2008, no livro Cinemateca. Susana era a pri­mo­gê­ni­ta de Vinicius de Moraes.

 

Eucanaã Ferraz e Susana de Moraes. Foto de Vera Donato

O amor com que Susana
rega as plan­tas do jar­dim.

Segue o mun­do, segue a rua,
seque tudo até ao fim,

Susana per­sis­te, aten­ta; mais,
con­cen­tra­da; mais, amo­ro­sa,

como se o uni­ver­so fora
a erva, a orquí­dea, a rosa.

O amor com que Susana
plan­ta, replan­ta, rega,

como se cui­das­se do tem­po
e a água vies­se dela.

Ao redor de seus cui­da­dos
se ajun­ta de tudo a sede:

o ale­crim, a bro­mé­lia,
um ver­de que não se mede.

O amor com que Susana
se faz mãe e mati­nal,

matan­do a sede de azul
da mon­ta­nha, do ani­mal,

sede de água e cari­nho,
sede de tudo o que este­ja

na qua­dra de seu jar­dim,
ain­da que seu jar­dim seja

a memó­ria, o mun­do todo.
O amor é o seu modo.

 

Imagem da chamada: cineasta Susana Moraes em foto de julho de 2008. Foto de Luciana Prezia/Estadão Conteúdo.

, ,