Equipe IMS

Parem, simplesmente parem

Carla Rodrigues

07.03.17

No momento imediatamente anterior à chamada quarta onda, os movimentos feministas ocidentais estavam capturados pela institucionalização ou, dito de uma forma pior, pela adesão aos governos. O retorno às ruas é não apenas a volta à oposição, mas principalmente a retomada da irreverência e do deboche como potente arma política. Com sua plasticidade e irreverência, resgata essa crítica ao capitalismo e às injustiças de gênero nele contidas e acentuadas por um recrudescimento das políticas neoliberais de corte de direitos.

O lugar do negro

José Geraldo Couto

17.02.17

“A história do negro na América é a história da América – e não é uma história bonita.” A frase, dita pelo escritor James Baldwin (1924-87) a certa altura de Eu não sou seu negro, sintetiza muito bem o espírito do esplêndido documentário de Raoul Peck que concorre ao Oscar da categoria.

Militância

Bernardo Carvalho

19.11.14

Por pouco não fui atacado em Bruxelas por dois rapazes árabes. Eu caminhava com meu companheiro, e um dos rapazes começou a nos xingar em inglês. Ouvi uma vez, duas, três vezes. E aí me irritei. Se não fosse por dois policiais, poderia ainda estar em algum hospital belga. A militância mostra que a batalha nunca está totalmente ganha. Quanto maior a visibilidade das minorias, mais necessidade haverá de protegê-las da violência.