Equipe IMS

Boa música em casa nova

Luiz Fernando Vianna

13.03.17

Se alguém perguntar o que move a Rádio Batuta, a resposta pode soar presunçosa, mas é simples: tocar boa música. Significa música feita com inteligência e sem obsessões comerciais. É também como a Batuta procura agir desde que foi criada pelo IMS, em 2010. Esse perfil será reforçado a partir da tarde do dia 15, quando entrará no ar o nosso site reformulado – mas com o mesmo endereço: radiobatuta.com.br.

Mundo musical paralelo

Arthur Dapieve

21.12.16

Arthur Dapieve faz um apanhado da recém-concluída série A voz humana, idealizada e apresentada pelo poeta Eucanaã Ferraz na Rádio Batuta, um fascinante recorte do que homens e mulheres podem fazer com o ar e uma laringe.

Leonard Cohen em estado de graça

Guilherme Freitas

11.11.16

Antes de se tornar o celebrado cantor de voz grave e rascante,  o canadense Leonard Cohen, morto esta semana aos 82 anos, foi um jovem escritor festejado pela crítica e ignorado pelo público. Sem dinheiro, aprendeu a tocar violão para tentar se sustentar e lançou seu primeiro disco, Songs of Leonard Cohen, em dezembro de 1967. Nesse momento de transição em sua carreira, Cohen foi retratado pelo fotógrafo Otto Stupakoff para a revista americana Harper’s Bazaar.

‘Sou um poeta e sei disso’

Guilherme Freitas

13.10.16

Nos últimos anos, quando o nome de Bob Dylan era cotado para o Nobel de Literatura, sempre havia quem protestasse contra a possibilidade de o maior prêmio literário do mundo ser concedido a um compositor. Nesta quinta, a Academia Sueca enfim o reconheceu como criador de “novas expressões poéticas dentro da grande tradição da canção americana”, encerrando uma polêmica que, a rigor, nunca fez sentido. Afinal de contas, Dylan foi aceito como poeta desde o início de sua carreira musical por ninguém menos que Allen Ginsberg.

Antes e depois de João

Luiz Fernando Vianna

09.06.16

Talvez mais do que qualquer outro na música brasileira, João Gilberto é um intérprete-autor. Praticamente todas as canções que grava passam a soar como suas criações. Para saudar os 85 anos que ele completa nesta sexta, 10 de junho, a Batuta – web rádio do IMS – reuniu dez registros de várias épocas (1959 a 2004). E pôs, ao lado, gravações feitas anteriormente por outros artistas. Não se trata de maniqueísmo, pois alguns dos artistas foram influências fundamentais para João, como os conjuntos vocais e, sobretudo, Orlando Silva. Mas a comparação permite que se perceba como o baiano altera harmonia, canto, ritmo... Ou seja, "o som", como ele diz.

O silêncio do tam tam de Naná

Helena Celestino

10.03.16

Os tambores estão silenciosos, com a morte do grande Naná Vasconcelos, aos 71 anos. Ele dizia que podia tocar a alma das suas crianças com a percussão. No meio dos anos 70, em Paris, saía cedíssimo para dar aula aos meninos autistas num subúrbio francês bem longe. Em geral, já tinha passado a noite inteira na cave do seu sala e quarto no Halles, sozinho, tocando suas tumbadoras num som ensurdecedor, protegido pelas paredes de pedra das reclamações dos vizinhos.

Você nunca ouviu Demetrio Stratos?

Eucanaã Ferraz

29.02.16

O programa A voz humana desta terça-feira (1º de março) será dedicado a uma única voz – uma voz única –, a de Demetrio Stratos. Nós ouviremos uma experiência vocal impressionante. Em sua prática vocal, Stratos faz ver os limites do pensamento que compreende a voz como veículo unicamente da linguagem verbal e consequente constituição de hábitos auditivos insensíveis à realização de uma “voz-música”.

O trem de Patti Smith

Paulo Roberto Pires

09.11.15

M Train, o novo livro de Patti Smith, pode frustrar quem espera uma continuação de Só garotos. Aqui as memórias são de uma mulher madura, impregnada de literatura e solidão para enfrentar a melancólica sucessão de perdas que faz parte de toda vida. Patti escreve, assim, a autobiografia de todo mundo.

Inezita Barroso canta o Brasil

Lúcio Rangel

09.03.15

O crítico musical Lúcio Rangel, então o mais importante do país, apontou num texto de 1959 as qualidades de Inezita Barroso, que ainda se firmava na carreira. Ele incluiu o artigo em seu livro Sambistas e chorões, que o IMS relançou em 2014. Para reverenciar a grande cantora e divulgadora da cultura popular brasileira, morta neste 8 de março, o Blog publica o texto.

Poesia obscena no acervo Tinhorão

Fabio Frohwein

03.08.12

Mas, não fosse a raridade bibliográfica, que importância teria esse livrinho de um poeta esquecido pela maioria dos estudiosos de literatura brasileira? Apesar de sérios problemas tipográficos e textuais, o que não convém aqui discutir, Poesias livres é um dos poucos testemunhos da poesia obscena do nosso oitocentos, ao lado das edições de Elixir do pajé e da Origem do mênstruo, do também romântico Bernardo Guimarães.