Equipe IMS

A serra e o pampa

José Geraldo Couto

04.08.17

Entram em cartaz dois bons filmes brasileiros, ambos filmados no Rio Grande do Sul, mas contrastantes em tudo mais. Um deles, O filme da minha vida, de Selton Mello, tem potencial para atingir um grande público. O outro, Rifle, de Davi Pretto, é um projeto comercialmente mais modesto, mas não menos ambicioso na estética e no alcance sociopolítico.

O reality show de Hector Babenco

José Geraldo Couto

22.10.15

Meu amigo hindu cresce justamente quando se concentra no corpo do protagonista, em seu embate com a vida e a morte. É um pouco como se ali se chegasse ao grau zero da representação, da dramaturgia, da encenação: resta o corpo fibroso, esquelético, fragilizado, em sua luta para continuar vivo.

Uma visão sombria do Brasil

José Geraldo Couto

12.04.13

"Uma história de amor e fúria" é uma obra singular na cinematografia brasileira: uma animação que busca contar seiscentos anos da história do país por meio de um personagem que nunca morre. Por sua ambição e pioneirismo, o filme abre flancos para inúmeras críticas, algumas delas pertinentes, outras nem tanto.

O palhaço, o país e a busca de identidade

José Geraldo Couto

04.10.11

Dois filmes novos vistos na bela mostra Cine BH parecem não ter nada a ver um com o outro, mas dialogam entre si de modo enviesado e sutil. Estou falando de O palhaço, de Selton Mello, que abriu o evento mineiro na última quinta-feira, e de Meu país, de André Ristum, que entra em cartaz dia 7 de outubro. O filme de Selton Mello, o segundo dirigido pelo ator, é, na superfície, um road movie encantador, acompanhando um circo mambembe em sua errância pelo interior de Minas Gerais. Selton é Benjamin, o palhaço Pangaré, filho e parceiro do dono do circo, o veterano palhaço Puro-Sangue (Paulo José).