José Geraldo Couto

Um filme de mocinho

José Geraldo Couto

15.09.17

Polícia Federal (passemos ao largo da piada do subtítulo: A lei é para todos) é um filme de mocinho. O que caracteriza o filme de mocinho, seja ele faroeste, policial, melodrama ou ficção científica, é uma simplificação extrema dos dados do real, eliminando ambiguidades e nuances para construir um universo dramático em que o bem e o mal estão muito bem delimitados. E a estratégia narrativa consiste em manipular o olhar e as emoções do espectador de modo a induzi-lo a tomar partido e torcer por um dos lados do conflito – o lado do “bem”, evidentemente.

Um estado que já nasceu doente

Carla Rodrigues

19.04.17

riado em 1975 a partir da fusão entre o estado da Guanabara e o antigo estado do Rio de Janeiro – marcado por uma oligarquia rural então decadente –, o estado do Rio de Janeiro tal qual o conhecemos hoje é herdeiro direto da corte imperial, de seus descalabros e excessos, que assolam os cofres públicos até hoje. Próteses são definidas como dispositivos implantados no corpo para restaurar uma função comprometida. Na triste história da derrocada do estado do Rio de Janeiro, parece que as próteses usadas até aqui foram de todo inúteis.

Só pra saber

Bernardo Carvalho

22.07.15

Se eu fosse uma criança recém-chegada ao Brasil, ia querer saber: Quem foi que pôs Eduardo Cunha na presidência da Câmara? É uma pergunta simples. E eu não ia parar de perguntar até que me explicassem como é que se faz política no Brasil. Votaram contra a corrupção do PT? Então, me expliquem como é que se combate corrupção com corrupção?

Beyoncé é nós! Ou o Brazil não conhece o Brasil

Luiz Fernando Vianna

16.12.13

Clipe mostrando como é feliz a vida nas favelas brasileiras coroa uma semana em que a pátria brilhou: gladiadores se espancando numa arena do país que sediará a Copa; chuvas desalojando pessoas e alagando uma via recém-inaugurada na cidade que receberá as Olimpíadas; e falácias sobre UPPs e ônibus, temas das manifestações de junho.