Haruo Ohara na NHK

Fotografia

05.11.15

Hoje e ama­nhã, a emis­so­ra japo­ne­sa NHK exi­be um docu­men­tá­rio sobre o fotó­gra­fo Haruo Ohara (1909–1999). Em 2016, sua obra foto­grá­fi­ca será apre­sen­ta­da em três museus no Japão, em expo­si­ção orga­ni­za­da pelo Instituto Moreira Salles.

Nascido no Japão, Haruo Ohara veio para o Brasil aos 17 anos com pais e irmãos, e viveu no inte­ri­or do Paraná o res­tan­te da vida. Autodidata e ama­dor, fez de seu coti­di­a­no na lavou­ra, jun­to à famí­lia e outros japo­ne­ses e des­cen­den­tes, a maté­ria-pri­ma de um con­jun­to de ima­gens pre­ci­o­so, hoje sob a guar­da do Instituto Moreira Salles.

São cer­ca de oito mil nega­ti­vos em pre­to e bran­co, dez mil nega­ti­vos colo­ri­dos, deze­nas de álbuns e cen­te­nas de foto­gra­fi­as de épo­ca, além de equi­pa­men­tos foto­grá­fi­cos, docu­men­tos pes­so­ais, obje­tos, diá­ri­os e livros.

Em 2013, a cine­as­ta Tizuka Yamasaki comen­tou para o IMS alguns dos regis­tros de Ohara, res­sal­tan­do deta­lhes de quem conhe­ce o tra­ba­lho do fotó­gra­fo, as par­ti­cu­la­ri­da­des da região que é cená­rio das ima­gens e o entor­no cul­tu­ral que as cer­ca:

 

MAIS HARUO OHARA NO BLOG DO IMS

A fra­ção de segun­do e a his­tó­ria - um pai­nel sobre o fotó­gra­fo japo­nês que imi­grou para o Brasil em 1927 e pro­du­ziu uma obra moder­na, sen­sí­vel e huma­nis­ta.

Haruo Ohara e as lavou­ras do Paraná — ima­gens do tra­ba­lho na lavou­ra de café e da cons­tru­ção e desen­vol­vi­men­to da cida­de de Londrina, fil­ma­das por Hikoma Udihara.

Haruo Ohara — vídeo inte­gral do deba­te sobre o fotó­gra­fo rea­li­za­do no IMS-RJ em 2013, com medi­a­ção de Sergio Burgi e pre­sen­ça de Bruno Gehring e Saulo Ohara.

Jabuticabas (ou joi­as?) de Haruo Ohara — por Elvia Bezerra “Sobressaem raras, como pares de brin­cos. Parecem mais joi­as que fru­tos”.

 

 

, , ,