Casa do IMS na Flip: programação

IMS na FLIP

27.06.13

IMS  na Flip

A Casa do IMS (Rua do Comércio, 13 – Centro Histórico, Paraty) abrigará a programação especial do Instituto Moreira Salles para a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). Dentre as atrações estão uma exposição fotográfica, lançamentos de DVDs e da revista serrote, conversas com autores e apresentações musicais. A Casa do IMS estará aberta de quinta a sábado, das 10h às 22h, e no domingo das 10h às 16h. Conheça a programação:

Casa do IMS na Flip 2012 (Mariana Newlands)

Casa do IMS na Flip 2012 (Mariana Newlands)

Zingg! O olhar musical de David Drew Zingg

de quinta a sábado, das 10h às 22h, e no domingo das 10h às 16h

Chico Buarque de Hollanda, c. 1966 (David Drew Zingg/Acervo IMS)

Chico Buarque de Hollanda, c. 1966 (David Drew Zingg/Acervo IMS)

Com curadoria de Paulo Roberto Pires, a exposição é um recorte do acervo com mais de 150 mil imagens recém chegado ao Instituto Moreira Salles. Serão exibidos 22 retratos de cantores e compositores brasileiros, dentre eles Pixinguinha, Ataulfo Alves, Dorival Caymmi, Vinicius de Moraes, Cartola e Jamelão. “São fotos que ocupam lugar de destaque no acervo, sobretudo pelo que trazem de novidade à iconografia consagrada da música brasileira”, explica o curador.

David Drew Zingg (1923-2000) já era um fotógrafo conceituado nos EUA – trabalhou para as revistas Look, Esquire e Vogue – quando desembarcou no Rio de Janeiro a trabalho, em 1959, e pouco tempo depois mudou definitivamente para o país. Por aqui, registrou momentos fundamentais da bossa nova, como a estreia do show O encontro, que em 1962 reuniu no Rio de Janeiro Tom Jobim, Vinicius de Moraes, João Gilberto e Os Cariocas.

Bobby Short e Tom Jobim, c. 1982 (David Drew Zingg/Acervo IMS)

Bobby Short e Tom Jobim, c. 1982 (David Drew Zingg/Acervo IMS)

DVDs Graciliano Ramos

quinta, às 20h30

Carlos Vereza em <em>Memórias do cárcere</em> (1983)

Carlos Vereza em Memórias do cárcere (1983)

Serão lançados três novos títulos da coleção de DVDs do IMS, com filmes baseados em obras de Graciliano Ramos, autor homenageado da Flip 2013: Vidas secas (1963) e Memórias do cárcere (1984), de Nelson Pereira dos Santos, e São Bernardo (1972), de Leon Hirszman. Os filmes poderão ser adquiridos separadamente ou em conjunto, num box.

Vidas secas é um retrato pungente da realidade de uma família de retirantes que atravessa o sertão na tentativa de escapar da seca.  Já Memórias do cárcere se baseia na experiência de Graciliano Ramos como preso político, após ser detido por suspeitas de participação na oposição esquerdista ao regime de Getúlio Vargas. Em São Bernardo, que se propõe como relato de um leitor do romance de Graciliano, a história da ascensão do atormentado fazendeiro Paulo Honório é contada através de planos de longa duração.

http://www.youtube.com/watch?v=Q-WMDxK0eGU

serrote

de quinta a domingo

serrote #14/½

serrote #14/½

Estarão disponíveis na Casa do IMS o número 14 da revista quadrimestral do Instituto Moreira Salles dedicada ao ensaio, além de sua edição especial para a Flip, a serrote #14/½, que tem distribuição gratuita.

Batuta na Flip

de quinta a sábado

Autores: Batuta na Flip

A Rádio Batuta, rádio web do IMS, organizará encontros abertos ao público com autores participantes da Flip falando sobre livros ou autores que marcaram suas vidas, dentro do conceito de “biblioteca pessoal”. Todas as conversas serão gravadas e disponibilizadas no mesmo dia no site da Batuta.

Na quinta, às 17h, Bráulio Tavares falará sobre José Agrippino de Paulo, e às 18h A linha de sombra, de Joseph Conrad, será comentado por Milton Hatoum.

Na sexta-feira os encontros começam às 16h com Paulo Scott falando sobre A náusea, de Jean-Paul Sartre, seguido às 17h por uma conversa com Lila Azam Zanganeh sobre Ada ou Ardor, de Vladimir Nabokov. Fechando as conversas do dia, Adriana Calcanhotto fala sobre Mario Quintana às 18h.

Daniel Galera abre o sábado com um depoimento sobre A travessia, de Cormac McCarthy, às 16h. Às 17h, personagens de Zuca Sardan, como o Conde Lotrak, o Cuco sem Penas e o Fauno Furnel, dentre outros, são o tema da conversa com Zuca Sardan e Chico Alvin. Nelson Pereira dos Santos encerra os encontros às 18h falando sobre a cadela Baleia de Vidas secas, livro de Graciliano Ramos.

No site da Batuta também será publicado o áudio da Oficina Literária Flip/serrote, que acontece em Paraty entre os dias 4 e 6 de julho (fechada para alunos já inscritos). A oficina, cujo tema é ensaio, terá aulas com o editor da revista serrote, Paulo Roberto Pires, e participação dos ensaístas Francisco Bosco e Geoff Dyer.

Portela e seu passado de glória

de quinta a sábado, às 20h30

A Velha Guarda da Portela em 1975 no programa Ensaio, da TV Cultura (Iolanda Huzak)

A Velha Guarda da Portela em 1975 no programa Ensaio, da TV Cultura (Iolanda Huzak)

Em 2011 e 2012, os shows da Casa do IMS foram de choro e forró, respectivamente. Este ano será de samba, mais precisamente de sambas de compositores da Portela. Os músicos Paulão 7 Cordas (violão e voz), Alessandro Cardoso (cavaquinho) e Rodrigo de Jesus (percussão) interpretarão sucessos como Quantas lágrimas (Manacéa), Madrugada (Zé Keti), Desengano (Aniceto da Portela) e A maldade não tem fim (Armando Santos). De sambas-enredo deve entrar Teste ao samba, feito por Paulo da Portela para o carnaval de 1939 e apontado como um dos primeiros sambas compostos com tema a ser seguido por uma escola durante o desfile.

Alguns dos sambas citados integraram o repertório de Portela passado de glória, o disco de 1970 com produção de Paulinho da Viola, que deu a partida na história da Velha Guarda da Portela como um conjunto. Os três shows na Casa do IMS, de quinta a sábado, sempre a partir das 20h, têm como título, exatamente, Portela e seu passado de glória, alusão à composição de Monarco que deu título ao disco.

, ,