Shakespeare na Batuta

Música

21.04.16

A mor­te de William Shakespeare com­ple­ta 400 anos nes­te pró­xi­mo sába­do, dia 23 de abril, e a Rádio Batuta cele­bra a data com a série O mun­do musi­cal de Shakespeare, divi­di­da em três capí­tu­los. O pri­mei­ro já está no ar no site da Batuta. O epi­só­di­os seguin­tes vão ao ar ama­nhã (22) e sába­do (23).

Roberto Muggiati, jor­na­lis­ta com pas­sa­gens por alguns dos prin­ci­pais veí­cu­los de comu­ni­ca­ção do país e autor de diver­sos livros sobre músi­ca, sele­ci­o­nou mais de 60 momen­tos mar­can­tes. As peças do gênio inglês ins­pi­ra­ram incon­tá­veis com­po­si­ções do reper­tó­rio clás­si­co, can­ções popu­la­res, ópe­ras, pro­du­ções musi­cais de tea­tro e cine­ma, tri­lhas de fil­mes e balés.

O epi­só­dio ini­ci­al, Shakespeare, um clás­si­co, traz cri­a­ções que Schubert, Mendelssohn (autor da mais do que conhe­ci­da “Marcha nup­ci­al”, fei­ta para “Sonho de uma noi­te de verão”), Tchaikovsky e outros con­ce­be­ram a par­tir da obra do bar­do. Trechos de ópe­ras de Rossini, Verdi e Gounod tam­bém estão no reper­tó­rio.

O capí­tu­lo seguin­te, Na Broadway e em Hollywood, mos­tra como Shakespeare foi bem apro­pri­a­do pelo tea­tro e pelo cine­ma – quan­do suas idei­as caí­ram nas mãos de gran­des com­po­si­to­res. Um dos casos mais conhe­ci­dos é o musi­cal “Kiss me, Kate” (1948), livre adap­ta­ção de “A mege­ra doma­da” para o qual Cole Porter fez “So in Love”, “Too darn hot” e “From this moment on”. Outro é “West Side story” (ou “Amor, subli­me amor”, como o fil­me se cha­mou no Brasil), trans­po­si­ção de “Romeu e Julieta” para Nova York, com can­ções de Leonard Bernstein e Stephen Sondheim. “O rei leão”, ins­pi­ra­do em “Hamlet”, e a can­ção “Speak low”, nas­ci­da de “Muito baru­lho por nada”, são outros des­ta­ques.

Blues, jazz & rock, o epi­só­dio final, reú­ne exem­plos mar­can­tes da pre­sen­ça de Shakespeare em com­po­si­ções dos três gêne­ros. Muggiati apre­sen­ta um rarís­si­mo regis­tro radi­ofô­ni­co da apre­sen­ta­ção em Chicago, em 1957, da suí­te “Such swe­et thun­der”, por Duke Ellington e sua orques­tra. Em par­ce­ria com Billy Strayhorn, Ellington compôs a obra ins­pi­ra­da em per­so­na­gens e temas de Shakespeare. Interpretações de Lou Reed, Elvis Costello, Ute Lemper, Bryan Ferry e outros pin­tam retra­tos pecu­li­a­res de Macbeth, Ofélia, Prospero, além de ver­sões musi­ca­das de sone­tos do bar­do.

, , , , ,