Carla Rodrigues

Ainda está pouco

Carla Rodrigues

24.07.17

A escritora Conceição Evaristo estará diante de imensos dilemas em Paraty. A autora de Becos da memória encara o impasse enfrentado pelas lutas identitárias: ser reconhecida como uma grande escritora negra, e com isso ficar confinada à marcação de negritude, ou ser recebida como uma grande escritora, e com isso enfraquecer sua posição de mulher negra.

serrote #23 1/2

Equipe IMS

05.07.16

Disponível na íntegra a serrote #23 1/2, com textos de Alice Sant’Anna, Jean Renoir e Robert Louis Stevenson. Já tradicional na programação da Casa do IMS na Festa Literária Internacional de Paraty, a “serrotinha” foi distribuída gratuitamente durante a edição de 2016, que homenageou a poeta Ana Cristina Cesar.

Diário do Forte de Papelão

Daniel Pellizzari

01.07.16

Por trás de sua fortaleza de caixas de papelão, o escritor e tradutor Daniel Pellizzari, da Coordenação de Internet do IMS, arrisca um diário pessoal com o que lhe vem à cabeça durante a Festa Literária Internacional de Paraty e descobre, enquanto desempenha suas múltiplas funções no evento, que não há tempo para a introspecção na FLIP.

Mergulho do IMS na Flip

Equipe IMS

27.06.16

Homenageada pela Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) este ano, a obra da poeta Ana Cristina Cesar também será o principal destaque da casa que o Instituto Moreira Salles vai manter na cidade, pelo sexto ano consecutivo. A programação, que acontece entre quinta-feira, 30 de junho, e domingo, 3 de julho, inclui exposição, montagem de paginário, lançamento de livro e de revistas, além de exibição de um curta-metragem sobre a autora e das conversas com autores pela Batuta na FLIP.

Fotografias faladas

Equipe IMS

21.06.16

Inconfissões – fotobiografia de Ana Cristina Cesar, que será lançada em 30 de junho na Casa do IMS em Paraty, reúne textos breves de velhos amigos e de jovens que seguiram as pegadas literárias da autora homenageada pela Flip em 2016 (de 29 de junho a 3 de julho). Seja pela intimidade com os flagrantes fotográficos ou pela tentativa de invenção do tempo presente nas imagens, cada um legendou uma determinada foto, “a fim de cruzar narrativas à narrativa que ia compondo com as imagens”, explica Eucanaã Ferraz, organizador do livro editado pelo IMS. Reproduzimos aqui duas dessas ‘fotos-legendas’ assinadas por Alice Sant’Anna e Laura Liuzzi, representantes na geração de poetas pós-Ana C.

Serrotona e serrotinha

Equipe IMS

20.06.16

Uma das atrações da Casa do IMS nesta Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP) vai chegar em dose dupla: o número 23 da serrote, a revista de ensaios do IMS, será lançada às 20h de quinta-feira, dia 30 de junho, em conjunto com uma nova edição da já tradicional revista especial gratuita para o evento, mais conhecida pelo apelido carinhoso de “serrotinha”.

Paginário de Ana C.

Equipe IMS

09.06.16

Menos virtual e mais interativo, impossível: o Paginário – ideia de mural que deu nome ao projeto de instalações coletivas com trechos de textos literários grifados por seus admiradores – estabeleceu parceria com o IMS para uma intervenção do gênero dedicada exclusivamente à obra de Ana Cristina Cesar em paredão da Casa do Instituto Moreira Salles, em Paraty, durante a FLIP 2016, que em sua 14ª edição homenageia a poeta.30

Maureen Bisilliat e Mário de Andrade

Equipe IMS

26.06.15

Maureen Bisilliat recorda em vídeo a viagem que fez em 1985, pelo Norte do país, inspirada em O turista aprendiz, de Mário de Andrade. A Casa do IMS na Flip exporá imagens da jornada de cinco semanas e trechos do diário que a fotógrafa manteve. Ela estará em Paraty.

O homem e suas certezas

Paulo Roberto Pires

23.07.14

Perdemos mais um da brigada anticretinice. Rabugento num mundo de “fofos”, radical em meio a defensores anódinos de consenso, Ariano Suassuna foi fundamental por seus incontáveis e imensos acertos e, de forma tão importante, por seus próprios e veementes equívocos. 

À sombra da montanha García Márquez

Joca Reiners Terron

18.04.14

Para aqueles nascidos com as ditaduras latino-americanas em curso, o escritor colombiano tinha a solidez de um busto e a ubiquidade de uma efígie postal: um clássico em vida, com o acréscimo dos rumores de sua militância política. Com sua morte, enfim minha geração poderá relê-lo sem os prejuízos e preconceitos suscitados por sua presença física de gigante.