Jornalismo aos nove anos

Por dentro do acervo

16.08.12

Extra! Espetacular! Brizola che­ga! É com man­che­tes sen­sa­ci­o­na­lis­tas que Ana Cristina Cesar abre as edi­ções do jor­nal O mun­do, que escre­veu, edi­tou e enca­der­nou (isto é, gram­pe­ou) em 1961, quan­do tinha nove anos. O jor­nal, que mede míse­ros 7,4 cen­tí­me­tros de altu­ra por 5,1 cm de lar­gu­ra, é uma das vári­as curi­o­si­da­des que se encon­tram no arqui­vo da auto­ra no Acervo do Instituto Moreira Salles.

Notícias polí­ti­cas pon­tu­a­das com excla­ma­ções e às vezes tra­ta­das com humor são a tôni­ca do jor­nal. “Destaque o cupom abai­xo e pode­rá assis­tir a che­ga­da do Sr. Leonel Brizola”, ofe­re­ce uma edi­ção. Sob o títu­lo de Espetacular, há uma lis­ta ale­a­tó­ria de ani­mais: “Leão, alce, cava­lo, ele­fan­te, rato, doni­nha, anta”. Abaixo, uma per­gun­ta: qual o mais feroz? A res­pos­ta está escri­ta de cabe­ça para bai­xo: “O Lacerda, não está ven­do?”. Um sen­so de humor sur­pre­en­den­te e cri­a­ti­vo irrom­pe em pági­nas como essa.

Outros tre­chos são mais mis­te­ri­o­sos: “HOMENAGEM AOS TIGRES” está dati­lo­gra­fa­do em letras maiús­cu­las sobre um fun­do qua­dri­cu­la­do rosa.

Em uma edi­ção, há uma seção de poe­sia que inclui o seguin­te poe­ma:

O açu­ca­rei­ro,
Tem açú­car.
O açú­car,
Tem açu­ca­rei­ro”

Se é ver­da­de que as apti­dões de uma pes­soa podem ser detec­ta­das na infân­cia, o talen­to para a pala­vra escri­ta está mui­to cla­ro nes­te curi­o­so perió­di­co da poe­ta. Mais do que isso, essa incur­são jor­na­lís­ti­ca de Ana Cristina Cesar sina­li­za uma inven­ti­vi­da­de regi­da pelo pra­zer de jogar — como uma cri­an­ça, no melhor sen­ti­do pos­sí­vel — com as pala­vras.

, , , ,