Equipe IMS

Rocinha mais que visível

Mànya Millen

15.03.17

Dizer que as favelas são excluídas economicamente, socialmente, culturalmente e até geograficamente do mapa da cidade é chover no molhado. Nem por isso, contudo, elas se consideram invisíveis, e muitas vêm se dedicando a movimentos de resgate de orgulho e pertencimento. É o caso da Rocinha, maior favela do Rio e considerada a maior do país, que ganha este mês o site Memória Rocinha, fruto de uma parceria entre o IMS e o Museu Sankofa.

A casa como grande navio

Tatiana Monassa

20.09.16

Realizado por Manoel de Oliveira em 1981 e mantido em segredo até sua morte, conforme vontade expressada pelo diretor, Visita ou memórias e confissões (1982) é uma obra-testamento precoce e um tanto peculiar. O filme estreia no cinema do IMS-RJ nesta quinta-feira, dia 22 de setembro.

Ficção e memória

José Geraldo Couto

17.06.16

Dois filmes brasileiros muito fortes estão entrando em cartaz: Big Jato, de Cláudio Assis, e Trago comigo, de Tata Amaral. O que eles têm em comum, a despeito de suas diferenças radicais, é o fato de lidarem com a memória como tema e como elemento de construção narrativa. Em Trago Comigo o assunto, grosso modo, é a ditadura militar que vigorou no Brasil entre 1964 e 1985. Mais especificamente, a brutalidade da repressão aos que se opunham a ela nos chamados “anos de chumbo” (final da década de 60, início da de 70). Dito assim, soa um tanto déjà-vu. Mas é aí que o filme dá mais uma volta no parafuso, ganhando em contundência política e relevância estética.

Daniel Blaufuks, trabalho de memória

Mark Durden

20.08.13

Mark Durden escreve sobre o trabalho do cineasta e fotógrafo português Daniel Blaufuks, que "fala de limites, do quanto pode ser dito sobre a experiência através de pormenores e vestígios, que resíduos de uma vida poderão perdurar". Algumas dessas obras serão exibidas na mostra Trabalho de memória, em cartaz de 21 a 24/8 no IMS-RJ com a presença do artista.