Alfredo Ribeiro

O que as retrospectivas não mostram

Alfredo Ribeiro

21.12.18

2018 termina carimbado como o ano das fake news, todavia sem prejuízo para a divulgação concorrente de fatos irrelevantes, uma tradição que nasceu e vem crescendo junto com a internet. Desde a virada do século coleciono esse tipo de informação desnecessária, cuja retrospectiva a cada virada de ano dá uma boa ideia da insignificância dos acontecimentos nos tempos que vivemos.

O valor do riso

Camila von Holdefer

26.10.17

Nem sempre é fácil empregar o humor como ferramenta da militância feminista. Fazer rir, e rir de si mesma, tomar para si toda a dimensão do riso, é botar as coisas em seus devidos lugares e as mudanças em marcha. Que alguns homens não vejam graça nenhuma nisso não é problema nosso.

A hora da comédia, a comédia da hora

José Geraldo Couto

20.01.17

“Numa terra radiosa vive um povo triste”, escreveu celebremente Paulo Prado no começo de seu Retrato do Brasil. Talvez por isso tenhamos tanta necessidade de rir – de nós mesmos, por suposto. No atual e conturbado momento em especial, as comédias estão com tudo: dos dez filmes brasileiros de maior bilheteria em 2016, nada menos que sete pertencem ao gênero. O fenômeno da hora é Minha mãe é uma peça 2, de César Rodrigues, que já passou dos seis milhões de espectadores.

Para compreender o riso

Camila von Holdefer

05.12.16

Se a função social do humor na intimidade responde às iniciativas e às necessidades de quem está inserido naquela relação, na esfera pública tudo é bem diferente. Excluir as mulheres do jogo, que não podem tomar para si a iniciativa de fazer graça e de discutir o cômico, é uma forma de tornar o humor um privilégio de alguns. Pior ainda é perturbar um coletivo de milhões com a tentativa de puxar o riso quando há emoção e há choro. O humor é humano e é social.

Uma criança grande demais

Bernardo Carvalho

01.09.16

Há relatos sobre Robert Walser, durante sua passagem por Berlim entre 1905 e 1913, que o comparam a uma criança gigante, inconveniente, que conta piadas que ninguém entende e ri fora de hora. O humor e o drama dos textos de Walser vêm dessa inconveniência. Os personagens estão sempre ligeiramente fora do lugar. É ao mesmo tempo engraçadíssimo e inconsolável.

A causa comum da alegria

Elizama Almeida

28.02.14

Através de pesquisa na coleção José Ramos Tinhorão, sob a guarda do Instituto Moreira Salles, Elizama Almeida e Laura Klemz recuperaram algumas charges e textos publicados nas revistas "O Malho" e "Careta" do carnaval de 1914, época de "revoluções, tomadas de poder, bombardeios nas cidades do interior, desemprego, problemas de saúde e ordem pública, miséria, seca e muitos boatos relacionados ao governo".