Bolívar Torres

Lima Crispim, João Barreto

Bolívar Torres

05.09.17

Enquanto o mercado recebe várias publicações sobre Lima Barreto, o primeiro livro a colocar o autor como protagonista segue fora de catálogo. Editado em 1922, História de João Crispim, um roman à clef, é uma preciosidade esquecida e abandonada da nossa literatura, que Wilson Martins chamou de “o único retrato verdadeiramente vivo de Lima Barreto”. Por que essa importante peça do quebra-cabeças Lima Barreto continua tão esquecida, mesmo no ano da volta triunfal do escritor?

O meme, o soneto e o escorbuto

Victor Heringer

19.07.17

Victor Heringer mergulha na genealogia dos memes de internet para refletir sobre a relevância da poesia na sociedade contemporânea e descobre quem tomou o lugar de sonetos, trovas, rondós e cantigas.

Os grandes sóis violentos

José Geraldo Couto

27.04.17

“O sonho acabou; quem não dormiu no sleeping-bag nem sequer sonhou.” A frase da canção de Gilberto Gil talvez seja uma maneira de resumir em poucas palavras o espírito de No intenso agora. Qualquer descrição ou sinopse será empobrecedora e ilusória, inclusive esta: o documentário de João Moreira Salles, exibido no Rio e em São Paulo no festival É Tudo Verdade, organiza e discute imagens filmadas na China maoísta de 1966, na França de maio de 1968, na Tchecoslováquia da Primavera de Praga e no Brasil da ditadura militar.

Firme no Leme

Equipe IMS

06.06.16

Que se cuide o Carlos Drummond de Andrade sentadinho naquele banco quase na outra ponta de Copacabana. Em pose parecida com a do poeta – de pernas cruzadas e de costas para o mar – Clarice Lispector também ganhou réplica em bronze acomodada na mureta do Leme. E logo nos primeiros 20 dias integrada à paisagem, a primeira estátua de artista mulher no Rio, se não chegou a superar, deve ter igualado o recorde de Drummond em número de selfies com passantes.

Dia D estátua

Equipe IMS

27.10.15

Inaugurada às vésperas do centenário do poeta, em outubro de 2002, a estátua de Drummond na av. Atlântica, no Rio de Janeiro, foi criada por Leo Santana a partir de um retrato do fotógrafo Rogério Reis. Os flagrantes do carinho especial de cariocas e turistas com o Drummond de bronze já superam em muito os constantes atos de vandalismo.

Morre o poeta Manuel Graña Etcheverry, genro de Drummond

Equipe IMS

27.05.15

O poeta e tradutor argentino Manuel Graña Etcheverry morreu nesta quarta (27), aos 99 anos. Ele foi genro de Carlos Drummond de Andrade, de quem transpôs muitos poemas para o espanhol. Teve três filhos com Maria Julieta Drummond de Andrade. Como político em seu país, notabilizou-se como relator da lei que instituiu o voto feminino em 1947.

Sabadoyle: o último salão literário

Elvia Bezerra

10.11.14

No dia 25 de dezembro de 1964 nascia, de maneira curiosa, no Rio de Janeiro, o último salão literário do Brasil. Grêmio literário? Academia paralela? Ninguém melhor que Drummond, o fundador involuntário, para definir as reuniões “em que se esquecem preocupações e tédios, no exercício desta coisa que se vai tornando rara ou impossível na cidade de hoje: a conversa".

Manuel Bandeira: a vida inteira

Elvia Bezerra

19.04.14

No aniversário do poeta, a coordenadora de literatura do IMS relembra as casas onde ele morou e os poemas que elas inspiraram. O cenário doméstico e a vida da vizinhança foram matéria importante na obra de Bandeira, que desenhou para o colega Mario Quintana um mapa do entorno de sua casa, na Lapa. O desenho está no acervo do artista gaúcho, no IMS.

Drummond relançado – quatro perguntas a Leandro Sarmatz

Equipe IMS

12.03.12

O jornalista, escritor e poeta Leandro Sarmatz, autor de Uma fome e Logocausto, foi recentemente incumbido da tarefa de reeditar a obra de Drummond, que será relançada pela Companhia das Letras no dia 14 de março. Para celebrar a nova edição, foram programados diversos eventos e saraus em homenagem ao grande poeta mineiro. Leandro Sarmatz respondeu a quatro perguntas do Blog do IMS sobre Drummond e o trabalho de edição.

Dia D: celebre a obra de Drummond

Equipe IMS

31.10.11

No dia 31 de outubro de 1902, nascia o grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade (1902-1987). Para comemorar a data, o Instituto Moreira Salles lança a ideia de instituir umDia D - Dia Drummond -, que passa a fazer parte do calendário cultural do país. Assim como os irlandeses (e hoje o mundo inteiro) festejam a vida do escritor James Joyce no dia 16 de junho com o Bloomsday, os brasileiros começarão a homenagear um de seus maiores poetas sempre no dia de seu nascimen- to. O objetivo é promover e difundir a sua obra. Para isso, convida parcei- ros e amigos para comemorar a data, em todo o Brasil, a partir deste ano.