Equipe IMS

Cemitério do Araçá

Noemi Jaffe

12.04.17

A seção Primeira Vista publica todo mês textos inéditos de ficção, escritos a partir de fotografias selecionadas no acervo do Instituto Moreira Salles. O autor escreve sem ter informação nenhuma sobre a imagem, contando apenas com o estímulo visual. Neste mês de abril, Noemi Jaffe foi convidada a escrever sobre uma foto de Claude Lévi-Strauss.

Rocinha mais que visível

Mànya Millen

15.03.17

Dizer que as favelas são excluídas economicamente, socialmente, culturalmente e até geograficamente do mapa da cidade é chover no molhado. Nem por isso, contudo, elas se consideram invisíveis, e muitas vêm se dedicando a movimentos de resgate de orgulho e pertencimento. É o caso da Rocinha, maior favela do Rio e considerada a maior do país, que ganha este mês o site Memória Rocinha, fruto de uma parceria entre o IMS e o Museu Sankofa.

Mapa da dor

André de Leones

02.03.17

A seção Primeira Vista publica todo mês textos de ficção inéditos, escritos a partir de fotografias selecionadas no acervo do IMS. O autor escreve sem ter informação nenhuma sobre a imagem, contando apenas com o estímulo visual. Neste março, André de Leones foi convidado para escrever sobre uma foto de Vincenzo Pastore.

Atenção às linhas

Mànya Millen

09.02.17

Ao ingressar no turno noturno do ensino médio no Rio de Janeiro, o adolescente Matias Vaisman decidiu aproveitar os dias livres para fazer cursos de fotografia. Foi aprimorando técnica, escolhendo ângulos de composição e ampliando seu campo de interesse e, recentemente, fotografou a casa e os jardins do IMS na Gávea.

O abraço

Carola Saavedra

06.02.17

A seção Primeira Vista publica todo mês textos de ficção inéditos, escritos a partir de fotografias selecionadas no acervo do IMS. O autor escreve sem ter informação nenhuma sobre a imagem, contando apenas com o estímulo visual. Neste fevereiro, Carola Saavedra foi convidada para escrever sobre uma foto de Maureen Bisilliat, pertencente a uma série sobre travestis no carnaval do Rio de Janeiro (c.1980)

O porto seguro de Otto

Bob Wolfenson

13.12.16

Em que pese a obra de Otto Stupakoff ser mais ampla e rica quando realizada em ambientes externos, portanto muito mais afeita ao imponderável e ao improviso, ele, entre idas e vindas, acabou tendo diversos estúdios. Em todos eles foi muito produtivo, e todos, ao final, se configuraram como antíteses de um estúdio formal. Mesmo o primeiro, em Porto Alegre, construído especialmente como tal, guardava características de um “não estúdio”.

Ferrez e Andujar no Prêmio Jabuti

Equipe IMS

24.10.16

Dois livros publicados pelo Instituto Moreira Salles estão entre os finalistas da 58ª edição do tradicional Prêmio Jabuti, concedido anualmente pela Câmara Brasileira do Livro. Tanto Rio, de Marc Ferrez, como Claudia Andujar – No lugar do outro, figuram entre os dez títulos selecionados pelos jurados na categoria Arquitetura, Urbanismo, Artes e Fotografia. Os três vencedores (primeiro, segundo e terceiro lugares) em cada uma das 27 categorias serão conhecidos dia 11 de novembro.

Eadweard Muybridge

Thom Andersen

13.09.16

O filme Eadweard Muybridge, zoopraxógrafo, parte da mostra Hollywood e além: o cinema investigativo de Thom Andersen, será exibido neste domingo, dia 18/9, em sessão apresentada pelos curadores Aaron Cutler e Mariana Shellard. Em texto de 1966, o diretor Thom Andersen fala sobre o trabalho pioneiro de Muybridge.

Encontro de olhares

José Geraldo Couto

14.07.16

A palavra “fotografia”, etimologicamente, significa “escrita da luz”. Com seu instrumento de captação, controle e manipulação da luz – a câmera –, os grandes fotógrafos escrevem reportagens, poemas, comédias, epopeias. É o caso de José Medeiros e Thomaz Farkas, dois gigantes da fotografia brasileira retratados no curta-metragem Improvável encontro – frente e verso, de Lauro Escorel, que o Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro exibe em sessões especiais até 31/7.

Por trás das imagens

Equipe IMS

21.06.16

Mais que um livro de fotografias, O instante certo é um livro sobre fotografias célebres – e não necessariamente históricas – que inspiraram 38 ensaios escritos entre 1995 e 2016 pela jornalista Dorrit Harazim e publicados originalmente para leitores tão diferentes quanto os da extinta revista eletrônica no.com, a semanal Veja, a mensal piauí, a semestral Zum e seu site homônimo, onde Dorrit manteve uma coluna regular da qual brotou O instante certo. Trata-se, segundo ela, de “uma coletânea de histórias por trás das imagens”, convite a “uma espécie de viagem sem roteiro, cujo destino final será sempre uma vinheta da vida e seus solavancos”.