Todas as formas de desejo

Kleber Mendonça Filho, coordenador de cinema do Instituto Moreira Salles, apresenta a obra do cineasta português João Pedro Rodrigues, estrela da retrospectiva em cartaz no IMS-RJ até 12 de abril. Trata-se de uma filmografia única, que explora o desejo humano em todas as suas aparências e disfarces e percorre dos gêneros clássicos ao cinema documental e experimental.

A terceira margem do rio

O cinema português é um fenômeno. Mesmo com uma produção relativamente pouco numerosa, conta hoje com pelo menos três dos cineastas mais originais e potentes em atividade no mundo: Miguel Gomes, Pedro Costa e João Pedro Rodrigues, cujo longa-metragem mais recente, O ornitólogo, premiado em Locarno, está entrando em cartaz em cerca de vinte cidades brasileiras. Salvo engano, é o primeiro filme do diretor a ser exibido comercialmente no país.

Capivaras

Tenho mexido muito na ordem das cousas em Capivaras/Sem título. A narrativa conta a história de Olívia, que parte para a Irlanda à procura da mãe, que tem histórico de transtorno bipolar e de sumiços repentinos. A relação de Olivia com a mãe começa a chegar na curva em que os papeis se invertem: a filha cuida da mãe e corre atrás dela. A protagonista tem paranoias suficientes para crer que a mãe, e uma série de outras respostas, estará na Irlanda. Ao longo da narrativa, Olívia convive majoritariamente com outros brasileiros na Ilha Esmeralda e acaba aglutinando essas histórias.

Os filmes de abril

Fique por dentro da programação completa para abril da Sala José Carlos Avellar, o cinema do Instituto Moreira Salles do Rio de Janeiro, com datas e horários das exibições e instruções para compra de ingressos. Além da retrospectiva de João Pedro Rodrigues, um dos destaques é Martírio (foto), de Vincent Carelli.

A doença da imaginação

Split, o título original de Fragmentado, tem várias traduções possíveis, além da adotada pelos distribuidores brasileiros: cindido, despedaçado, dividido, esfacelado… Todas se aplicam ao esplêndido filme de M. Night Shyamalan que está chegando aos nossos cinemas.

Vinicius e Susana em Bolonha

O DVD de Vinicius de Moraes, um rapaz de família, documentário de Susana Moraes lançado pelo IMS em versão restaurada e masterizada digitalmente, está entre os finalistas do XIV Il Cinema Ritrovato DVD Awards.

A arte de perguntar

Para Robert Silvers, morto na segunda aos 87 anos, a The New York Review of Books era uma extensão da própria casa. Para não deixar dúvidas, ele mantinha uma cama nos fundos do escritório.

Um crítico em meio ao todo

Tome-se aleatoriamente um ensaio de José Carlos Avellar e será possível detectar muitas das características de seu pensamento e ofício. A análise crítica, seja relativa a um período cinematográfico, seja específica a um filme, era uma delas. Era frequente o crítico adotar o registro pontual para chegar ao mais amplo. Afrontava seu tema não numa análise fechada em si, mas em variado “diálogo” com textos e entrevistas de pares teóricos e realizadores. Avellar fazia ecoar, assim, pontos de vista convergentes ou divergentes a uma tese. Esse procedimento singular de análise foi sendo estabelecido e aperfeiçoado aos poucos.

Beleza não pragmática

Na época da especialização desmedida, é perfeitamente possível alguém ser um dos maiores intelectuais em história da arte e ainda assim não ter a menor noção do que existe dentro de um átomo para além do modelo aprendido na escola, no qual um elétron orbitava um núcleo como um pequeno satélite ao redor da Terra. Os “livros de divulgação científica” buscam saltar o abismo criado na sociedade contemporânea entre o ensino de exatas e o de humanas.

Maloca moderna

Era o Hotel Cambridge, de Eliane Caffé, é, de certa forma, o adendo que faltava ao clássico de Adoniran Barbosa, “Saudosa maloca”. Poucos filmes podem ser considerados mais atuais. O que vemos ali é a crônica, entre a ficção e o documentário, do dia a dia de uma “ocupação” no centro de São Paulo, às vésperas da sua “reintegração de posse”, eufemismo para despejo.